Mês: abril 2020

Como Aumentar o amor entre você e seu filho

Como aumentar o amor?Como o amor floresce entre você e seu filho.

como aumentar o amor

Como aumentar o amor?Durante a gravidez, as pessoas alertaram Jen Harrington que ela estava prestes a se apaixonar como nunca antes. Mas ela não entendeu o que eles queriam dizer até o nascimento de Joshua. O sentimento de adoração atingiu assim que ela o viu.

O vínculo entre pai e filho é uma das conexões mais fortes da natureza. Os romances vão e vêm, mas depois de se relacionar com seu bebê, você provavelmente fica viciado por toda a vida, e não porque gosta da perspectiva de trocar milhares de fraldas.

O amor que você sente pelo seu filho não é apenas intelectual ou cultural – é uma parte básica da sua maquiagem. Se você é mãe ou pai, pai adotivo ou padrasto, você está preparado para formar laços fortes com seu filho, e seu filho está igualmente pronto para se conectar com você.

Ao longo dos anos, cientistas e especialistas em desenvolvimento infantil descobriram detalhes fascinantes sobre a conexão entre pais e filhos. Suas descobertas ajudam a explicar por que os bebês são tão viciantes e por que amamos profundamente nossos filhos quando eles também envelhecem – birras, discussões e tudo. Seu vínculo com seu filho mudará ao longo dos anos, mas sua importância nunca diminui.

Como Aumentar o amor:Gravidez: Amor antes da primeira vista

Não se surpreenda ao descobrir que está amando seu bebê antes mesmo de se conhecer. Os futuros pais são frequentemente atingidos por uma potente mistura de emoções e antecipação – e esses sentimentos ajudam a preparar o cenário para o seu relacionamento com seu filho.

Se você é uma mãe grávida, hormônios poderosos lançam as bases para a sua conexão com seu bebê. Elas são ativadas durante a gravidez, ficando mais fortes com o passar das semanas.

À medida que a data de vencimento se aproxima, seu cérebro começa a produzir cada vez mais ocitocina, um hormônio que literalmente ajuda a trazer a mãe a você. Também conhecida como hormônio do amor, a ocitocina é responsável pelo comportamento materno, como aconchegar e cuidar dos animais, de ratos a macacos. Para as mães grávidas, seu principal trabalho é aliviar os sentimentos de estresse e, ao mesmo tempo, estimular a antecipação da nova chegada.

A ocitocina atraiu sério interesse científico nos últimos anos. Estudos em animais sugerem que ele desempenha um papel enorme em todos os tipos de comportamentos sociais , desde a criação de bebês até a formação de relacionamentos de longo prazo. Animais que não possuem receptores de ocitocina em áreas-chave do cérebro ignoram seus filhotes e encontram parceiros diferentes a cada estação. Espécies com muitos receptores para o hormônio tendem a amar pais que formam laços duradouros com seus parceiros. Então, quando seu corpo começa a bombear ocitocina durante a gravidez, é como se o amor estivesse correndo por suas veias.

Seu bebê também está desenvolvendo um vínculo com você, mesmo no útero. Seu batimento cardíaco é uma constante calmante. Os sabores dos alimentos que você come afetam o sabor do líquido amniótico que o cerca. E o coração dele bate um pouco mais rápido com o som da sua voz. É algo que excitará e confortará seu filho agora e nos próximos anos.

Se você é um pai , o segundo pai de um casal do mesmo sexo ou um pai adotivo que espera um novo bebê, não experimentará o mesmo aumento hormonal e proximidade física com seu filho em desenvolvimento que as mães grávidas. Mas não se preocupe, seu vínculo com seu filho não sofrerá.

Bebês e crianças mais velhas têm a capacidade de formar laços estreitos com qualquer cuidador que responda às suas necessidades físicas e emocionais. A teoria do apego – o princípio psicológico norteador das relações humanas – diz que pessoas de todas as idades se tornam profundamente conectadas àquelas que proporcionam uma sensação de segurança e apoio.

As pessoas nunca superam a capacidade e o desejo de formar essas conexões, por isso nunca é tarde para se relacionar com uma criança, diz Carol Wilson, psicóloga da Penn State, Erie. “Qualquer cuidador pode se tornar uma figura de apego”, explica ela.

Coisas que toda grávida precisa saber!

Coisas que toda grávida precisa saber!

Em meio a tantas emoções nesse momento especial, tire suas dúvidas sobre aquilo que toda grávida precisa saber.

Parabéns! Independentemente se você é uma mamãe de primeira viagem ou se já teve outra gravidez antes, está prestes a experimentar um evento maravilhoso que traz muitas mudanças para a sua vida e da sua família. Nos próximos nove meses, tudo o que você come, bebe e faz pode afetar diretamente o seu bebê. Surgirão muitas preocupações e alguns hábitos vão mudar, mas fique tranquila: você não está sozinha nessa!

Toda grávida precisa saber que…

… ter dúvidas é normal! Nesse momento é essencial contar com o apoio da família e de seu médico para eliminar as ansiedades do dia a dia. Para te ajudar com isso, também reunimos aqui respostas para dúvidas comuns e dicas úteis para ajudar a manter você e seu bebê felizes e saudáveis.

1 – O que não posso comer na gravidez?

Durante a gravidez é necessário ter cuidados especiais com a alimentação, e você já deve ter ouvido falar que diversos alimentos podem prejudicar o desenvolvimento do bebê e a saúde da gestante. Além de substâncias como o álcool, a cafeína e o excesso de açúcar, evite também alimentos como peixes crus, frutas e legumes mal lavados, leites e queijos não pasteurizados, que podem estar contaminados.

2 – Posso praticar esportes?

Sim! E inclusive, praticar atividades físicas durante a gestação é recomendado, a não ser que seja uma gravidez de risco. Fazer exercícios dá mais energia para e faz bem não só para a saúde da mãe, como também para o bebê. Consulte com o seu médico ou médica quais tipos de atividades são as mais indicadas de acordo com o momento da gravidez em que você está.

3 – Vou ter alterações de humor?

Embora ter um bebê seja normal e uma parte maravilhosa da vida, é normal se sentir sensível nessa fase. Muitas grávidas têm seus sentimentos intensificados, tanto por questões psicológicas como pelas mudanças hormonais ocorrendo em seu corpo. Para manter as emoções equilibradas, busque hábitos saudáveis, coma bem, exercite-se e descanse também. Se você não se sentir bem ou ficar sempre cansada, é mais provável que você sinta ansiedade e irritação.

4 – Quando vou sentir o bebê mexer?

Normalmente, a gestante começa a sentir o bebê se mexendo na barriga entre a 16ª e a 20ª semana de gestação, ou seja, no final do 4º mês ou no 5º. Porém, na segunda gravidez, é normal a mãe sentir o bebê mexer mais cedo.

Muitas grávidas descrevem a sensação do bebê mexendo pela primeira vez como parecida com bolhas de ar, peixe nadando, gases, fome ou ronco no estômago. É só emoção!

5 – Vou sentir dores?

A dor nas costas durante a gravidez é famosa entre as grávidas. Mas muitas mulheres relatam também nas pernas e no nervo ciático, além dos pés inchados. E tem uma dor bem específica, no osso da virilha, que também é super comum. Com o crescimento do bebê e o aumento do peso, o desconforto cresce e pode ficar pior durante estações quentes. Se sentir algo estranho, tenha sempre o contato do médico para tirar dúvidas.

6 – Como funciona o pré-natal?

A gestação precisa ser acompanhada por um médico para garantir a saúde tanto da mãe quanto do bebê. Faça o pré-natal com consultas regulares ao obstetra, desde a confirmação da gravidez até 40 dias após o nascimento. O seu médico ou médica deve te orientar, esclarecendo dúvidas e garantindo o seu bem-estar assim como do bebê. Até o final do segundo trimestre as consultas podem ser mensais; a partir do sexto mês, quinzenais e no último mês, semanais.

7 – Posso dormir de bruços?

Grávidas podem sim dormir de bruços, desde que a barriga ou a coluna não estejam incomodando.Se você se sentir confortável, não se preocupe. O único problema é que o volume abdominal aumenta bastante a partir do 4º mês e a partir daí, você pode adotar a posição virada para o lado esquerdo, com perna esquerda esticada e a direita dobrada para dormir. Uma dica é usar um travesseiro pequeno entre as pernas, e um grande para apoiar a barriga e tirar o peso e evitar dores musculares.

8 – Como saber que o parto está próximo?

Não existe um sinal óbvio de que o bebê está prestes a nascer, mas enquanto o espaço vai ficando apertado e os movimentos dele diminuindo cada vez mais, logo ele entra em posição de nascimento com sua cabeça encaixada nos ossos da pélvis. Algumas mulheres contam que conseguiram sentir o momento exato que o bebê encaixou, com ele se virando e descendo para a posição de nascimento – mas apenas um médico pode confirmar. Com o bebê encaixado, os sintomas do parto podem ser facilmente confundidos com outros desconfortos como diarreia e azia. Outro sintoma bem comum no final da gravidez e também durante o trabalho de parto são fortes dores na lombar.

9 – Parto normal ou cesárea?

Isso depende de inúmeros fatores. O parto normal costuma ser mais seguro e saudável tanto para a mulher quanto para o bebê, com a recuperação da mãe muito mais rápida e natural. Contudo, em alguns casos a cesárea é necessária e, como em qualquer cirurgia, há riscos envolvidos. O melhor a se fazer é tirar todas as suas dúvidas ao longo da gravidez com seu médico, para se preparar e estar tranquila independentemente do tipo de parto que tiver.

10 – Quando devo consultar um pediatra?

Depois de o momento tão esperado chegar, logo nos primeiros dias de vida do bebê é recomendado fazer a primeira consulta com o pediatra, para avaliar se está tudo certo e tirar as novas dúvidas que vão surgir. Mas fique tranquila, desde a maternidade você deve receber orientações sobre amamentação, higiene e cuidados iniciais com o bebê.

Um mundo novo!

Se sentir insegura e ficar cheia de questionamentos é normal para qualquer mãe, principalmente ao cuidar do bebê nas primeiras semanas após o nascimento. Com o passar do tempo, você vai ver que as coisas não parecerão mais um bicho de sete cabeças. De qualquer forma, continue buscando uma rede de apoio com médicos e também mamães mais experientes porque assim tudo fica mais fácil